FANDOM


Babilônia
258px
Informações gerais
Gênero Drama, Suspense, Amor,

Homossexualidade e Racismo

Status Em Produção e Execução
Exibição original
Horário
Detalhes
País Brasil
Emissora Rede Globo
Escrita por Gilberto Braga
Direção Dennis Carvalho
Guia de telenovelas
Precedido por
"Império"
Sucedido por
"Desconhecida"

Babilônia é uma novela produzida pela Rede Globo, escrita por Gilberto Braga, Ricardo Linhares, João Ximenes Braga.

Produção

Para se igualar com os cinquenta anos da Globo, foram convidadas três grandes atrizes para contar com o papel principal da trama, elas são Glória Pires,Adriana Esteves,Camila Pitanga. Entre outros vários atores e atrizes de grande carreira como o casal gay, vivido na novela por Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg.

Enredo

Primeira fase

Cidade do Rio de Janeiro, 2005. Amigas de adolescência, Beatriz Amaral (Glória Pires), uma arquiteta de sucesso, que voltou de Lisboa, onde morava, após fica viúva, e Inês Junqueira (Adriana Esteves), uma advogada falida que não se conforma com sua vida de privações financeiras, se reencontram, por uma armação de Inês, que descobre, através dos jornais, a volta de sua antiga amiga para o Brasil. Estrategicamente, Inês se aproxima de Beatriz, e lhe pede um emprego para seu marido, o engenheiro desempregado Homero (Tuca Andrada). sempre arrogante e esnobe, Beatriz a humilha, e Inês diz que se vingará. Elas, então, se tornam arqui-inimigas devido à inveja ferrenha que Inês sente.

Mesmo tendo sucesso profissional, ser dona de um apartamento de luxo e de um escritório renomado, a vida econômica de Beatriz não anda bem. A herança deixada por seu marido, que faleceu de câncer, com quem ficou casada por mais de dez anos, não é suficiente para manter seus luxos, assim como já gastou toda herança deixada por seu pai. Sempre maquiavélica e interesseira, ela precisa achar outro milionário para dar o golpe do baú: Jamais amou seu falecido marido, e sempre foi infiel a todos os homens que teve. Para Beatriz, o que vale é ter dinheiro e poder.

Investigando em jornais e revistas, Beatriz chega ao nome do engenheiro milionário Evandro Rangel (Cássio Gabus Mendes). Ela, então, descobre que Marta, a esposa dele, está internada com câncer terminal. Mesmo sem conhecê-la, Beatriz vai ao hospital, e fica perto do leito. Ela se faz de humilde e bondosa, chora, diz que é amiga da esposa dele. Com o tempo, Marta falece. Beatriz seduz Evandro de todas as formas, e força sutilmente uma aproximação amigável. Eles, então, viajam como amigos para passar o ano novo em Paris. Lá, ela se declara, fingindo-se apaixonada, e consegue levá-o para a cama. Evandro, então, decide pedi-la em namoro. Com o tempo, ela consegue dominá-lo, e fazer com que ele a peça em casamento. Ela conhece o filho de Evandro, Gustavo, um menino esperto. Beatriz finge gostar dele, mas odeia crianças, tanto que nunca teve filhos por ser vaidosa com seu corpo, e mente a Evandro, que pergunta por que ela não teve filhos, e ela acaba dizendo que seu falecido marido já tinha outros filhos, e por ser operado, não podia ser pai, e que então, desistiu disso.

Após um casamento milionário, que é estampado e todas os noticiários, Beatriz tem seu desejo realizado, e passa a ser sócia majoritária da Construtora Rangel, a empresa de seu marido. Sempre voluptuosa e vulgar, embora discreta, ela se torna amante de Cristóvão (Val Perré), motorista de seu marido. Para seu azar, ela acaba sendo chantageada com fotos por Inês, que a fotografou durante uma festa beijando o motorista, de forma a conseguir subir na vida as custas de Beatriz, que acha ridículo as ameaças de Inês, mas teme ser desmascarada por ela. Inês arma mais uma situação, e começa a conversar com Cristóvão, no mesmo dia em que Beatriz havia marcado um encontro com ele. Revoltada, Beatriz acha que eles estão juntos para lhe dar um golpe. A situação piora quando Cristóvão se cansa de ser objeto sexual de Beatriz, e lhe pede dinheiro para tratar da saúde da esposa, Dora (Virgínia Rosa), que está com problemas cardíacos e necessita de um transplante. Beatriz se nega a ajudá-lo, e ele levanta a voz para ela, que o humilha, dizendo que fora da cama ele só é o empregado da família. Ele, então, com raiva, a ameaça, e diz que se ela não lhe der dinheiro, ele revelará tudo a Evandro.

Acuada, a ira de Beatriz queima mais forte, e ela planeja dar um fim a tudo que está incomodando-a. Evandro manda Cristóvão ir a joalheria para comprar uma pulseira para Beatriz. Ela ouve a conversa, e o segue. Ela acaba mandando ele seguir seu carro, que quer conversar com ele, em um local discreto. Eles chegam a um terreno baldio. Beatriz entra no carro, e ele lhe entrega a pulseira que Evandro mandou comprar. Beatriz, então, coloca a pulseira e manda o motorista beijar sua mão, sendo fiel e submisso para ganhar o que ele quer. Ele, excitado, achando que transarão no carro, aceita. Enquanto está distraído, Beatriz saca sua arma e atira no homem a queima roupa. Ela tira suas mãos da mão dele, mas a pulseira arrebenta e Beatriz fica com um pedaço, e Cristóvão, morto, com outro. Beatriz chega no seu antigo apartamento e esconde a arma do crime em um cofre, e volta para a mansão do esposo como se nada tivesse acontecido. Como uma psicopata, para ela matar é como ir as compras.

Inês reaparece e elas marcam um encontro no antigo apartamento de Beatriz. Inês acaba ameaçando-a novamente, exigindo o dinheiro, e Beatriz arma para cima dela: A humilha demais, a colocando abaixo de lixo. Revoltada e morrendo de raiva e inveja, Inês diz que irá destruí-la. Beatriz, então, manda ela provar que tem sangue frio e pede para ela pegar a arma que está sobre a mesa e pede para atirar se tiver coragem. Inês tenta, mas sua obsessão por Beatriz é tão grande, que não trem coragem de matá-la. Beatriz a ridiculariza, e diz que matou Cristóvão com essa arma, e que as digitais de Inês agora estão ali, e que poderá também destruí-la. Inês fica furiosa, e Beatriz amanda embora. Ela pensa, e acha melhor se aliar a sua inimiga do que tentar contrariá-la, pois as duas tem muito a perder. Beatriz conversa com Inês, e fazem um acordo: Se Inês apagar a gravação de Beatriz com Cristóvão, ela a ajudará a ter uma boa vida, e arrumar um emprego para o marido. Inês concorda, e finge que apagou o cd gravado.

Beatriz convence Evandro a dar um emprego para Homero, que mesmo sendo esnobe e prepotente, aceita o pedido da esposa. Homero fica surpreso, mas pensa em recusar o cargo, por não querer um emprego que não fez por merecer. Inês fica revoltada, o humilha demais, diz que jamais o amou, que se casou com ele por desespero de não ter mais família e nem ter onde morar, e que ele é um fracassado, sem ambição, e que só conseguiu lhe dar um apartamento de frente para o morro. Ele sofre muito nas mãos da impiedosa esposa, e acuado, aceita. Mas Beatriz a quer longe de sua vida, e manda Inês com o marido e a filha, Alice, a quem Inês sempre maltratou, para Dubai, nosEmirados Árabes Unidos, onde Homero começa a trabalhar com engenheiro chefe em um filial da Construtora Rangel.

Quem sofre pela morte de Cristóvão, além de sua esposa Dora, é sua filha, a batalhadora Regina Rocha (Camila Pitanga), uma jovem humilde, que mora em uma favela deMadureira, subúrbio do Rio, e que quer justiça na morte do pai, que é arquivada, alegando que ele fora morto em um assalto, pois viram a pulseira arrebentada em sua mão, alegando latrocínio (roubo seguido de morte). Regina jamais se conformou com essa hipótese, e lutará até o fim para fazer justiça. Após a morte do pai, e com a mãe doente e o irmão pequeno, ela passa a ser o único sustento da casa, tendo que abandonar os estudos e começar a trabalhar de garçonete.

Com o aluguel caro da pequena casa que moram na favela, a família decide se mudar para uma quitinete no Morro da Babilônia, no Leme, Zona Sul do Rio. A mãe de Regina, consegue, enfim, ser transplantada, após aparecer um doador. No Leme, Regina conhece e se apaixona pelo jornalista mulherengo Luís Fernando (Gabriel Braga Nunes), um homem casado, que mente, dizendo ser solteiro. Regina é íntegra, honesta, sincera e fiel, e pensa em se casar com ele, mas em poucos meses de namoro fica desesperada por descobrir estar grávida. Para sua decepção, Luís Fernando diz que não vai assumir a paternidade, e pergunta se o filho é realmente dele. Regina o agride, e sofre demais, e decide se fechar para o amor. Luís Fernando a procura, e oferece dinheiro para ela fazer um aborto. Regina fica horrorizada, o xinga, e manda ele sair de sua vida. Sua decepção se torna maior quando ela o flagra com Karen (Maria Clara Gueiros), e com seus dois filhos. Regina faz um escândalo, o humilha e diz a Karen que está grávida. A esposa ciumenta tem um ataque de raiva e pede o divórcio para Luís Fernando, mas com o tempo, o perdoa.

Regina não quer mais que ele assuma a criança, e sua mãe pede para ela parar com esse orgulho, e que a criança não tem culpa de nada, e que precisa ter a referência de um pai. Após o nascimento da menina, a quem Regina batiza de Júlia, Luís Fernando diz que não quer mais fazer o DNA, e propõe que Regina seja sua amante. Regina fica furiosa, e como não leva desaforo para casa, briga muito com ele, dizendo que jamais vai querê-lo novamente. Como ela é orgulhosa, exige que ele faça o exame de paternidade, para comprovar que sempre teve moral. Com raiva, Luís Fernando realiza o teste, que comprova que é o pai da menina. Ele se compromete a pagar pensão, e Regina passa a detestá-lo, porém, com o tempo, acabam se tornando colegas.

Segunda fase

Dez anos se passam. Chega o ano de 2015. Beatriz se tornou uma arquiteta prestigiada, além de uma grande empresária, pois se tornou presidente da Construtora Rangel. Ela mantém um casamento de aparências com o marido, Evandro, pois sabe que é traída por ele, mas finge não saber, sempre usando uma máscara de esposa compreensiva e zelosa, e muito articulada, acaba o dominando e tendo todos seus desejos realizados pelo marido, que acha que a esposa é um exemplo de moral, quando na verdade Beatriz o trai com diversos homens, e já levou para a cama desde o jardineiro da mansão até o vice presidente da empresa. Para ela não há meio termo quanto a homens, o que ela quer é sexo, e precisa disso para sobreviver, já que é uma típica ninfomaníaca.

Inês passou dez anos tendo uma vida de luxo em Dubai, vivendo como uma madame, sempre muito fútil e vazia, ainda cobiçando a beleza e riqueza de Beatriz, guardando fotos dela em capas de jornais e revistas, e sempre cultivando raiva de sua felicidade. Ela vive em uma mansão com o marido, Homero, que mesmo humilhado diariamente por ela, sustenta seus luxos, já que ele não quer se separar da esposa por ser muito apegado a filha, Alice (Sophie Charlotte), jovem moderna e livre, que sempre está em guerra com a mãe, que quer controlar sua vida, e fazer com que seus desejos de riqueza sejam satisfeitos através da filha. Alice está noiva de um senhor milionário, um árabe dono de minas de petróleo. Ela não gosta do homem e só está com ele por pressão da mãe, que quer que a filha se case com um homem rico e tenha desde cedo uma vida de luxo e prazer. Alice sempre desobedeceu a mãe, e só aceitou ficar com esse homem pois ele não a força a beijá-la e nem tocá-la, por ser um árabe, é comum querer levar a noiva virgem ao altar. Então Alice sempre ganha presentes caros e viagens, porém ela se apaixona pelo motorista desse senhor, um alemão de olhos verdes. Ela se entrega a ele e engravida, mas o homem se recusa a assumir a paternidade, para desespero de Alice, que conta a mãe que está grávida. Inês comemora, achando que o filho é do velho rico, mas ela se decepciona quando a filha diz que se entregou ao motorista que a abandonou grávida. Inês bate na cara da filha, e lhe chama de incompetente. Cansada da dominação da mãe, Alice a agride e lhe chama de cretina. As duas passam a brigar diariamente, com muitas humilhações e acusações mútuas. Isso desencadeia um estresse muito grande em Homero, que passa mal, e recebe o diagnóstico de aneurisma cerebral. Alice sofre muito pela doença do pai, e com as brigas constantes com sua mãe, acaba sofrendo um aborto espontâneo. Sempre má, Inês fica aliviada com o aborto, e planeja que a filha fique com outro milionário, mas Alice se recusa, e diz odiá-la.

Passam-se meses. Inês passa a infernizar a vida de Homero, o acusando de ser um péssimo pai e marido. Os dois começam a brigar diariamente, e Homero chama Inês de monstro. Ele chora e sofre, pois não suporta este casamento infeliz. Ele pede o divórcio, e Inês diz que arrancará tudo dele na separação. Em mais uma briga, ele tem uma crise, e morre. Alice se desespera e acusa a mãe de tê-lo matado. Inês não se importa com a morte dele, e quer saber do que tem direito para receber. Alice fica chocada com a frieza da mãe. Como Homero as sustentava e agora com seu falecimento, e para o ódio de Inês, ela e a filha são obrigadas a voltar ara o Brasil, tudo que Alice queria. Elas voltam a morar em um pequeno apartamento no Leme, de frente para o Morro da Babilônia, o que deixa Inês furiosa. Ela volta a procurar Beatriz e a ameaça, dizendo que não apagou o vídeo comprometedor. Beatriz fica com muito ódio, mas se alia a Inês, e a contrata como advogada da Construtora Rangel. Através de ordens de Beatriz, Inês aplicará diversos golpes e falsificações para desviar dinheiro da empresa.

No Rio, Alice conhece e se apaixona por Murilo (Bruno Gagliasso). Eles começam a namorar, mas a intenção de Murilo para com Alice é completamente outra. Ele é um rapaz cruel, mimado e muito perigoso. Cafetão e envolvido com tráfico, ninguém na sua família sabe de sua atividade, e pensam que ele é produtor de eventos. Ele é filho de Olga (Lu Grimaldi), dedicada ao lar e nos cuidados de Murilo. Ela é mãe de criação de Vinícius (Thiago Fragoso), advogado honesto, inteligente e sincero, que causa a fúria de Murilo ao deixar seu emprego na cidade de Jatobá, interior do Rio, por conta de corrupções, e voltar a morar com ele e a mãe para voltar a estudar e ser juiz. Murilo o humilha por ser o filho da empregada, que fora mãe solteira e faleceu de câncer quando Vinícius era criança, e Olga pegou para criá-lo. Murilo nasceu anos depois, quando Olga não achava mais que conseguiria ter filhos. O relacionamento dos dois é difícil, mas Vinícius tenta sempre entender essa revolta do irmão, pois Murilo sente inveja de Vinícius, e pensa que a mãe gosta mais do irmão do que dele.

O objetivo de Murilo é transformar Alice em uma prostitua de luxo, e ao longo do relacionamento, ele vê que Alice não consegue encontrar emprego de jeito nenhum, e lhe propõe isso. Ela o agride, e não aceita a proposta, terminando o namoro. Sabendo que a mãe dela é gananciosa, por Alice ter lhe contado sobre ter sido pressionada a ficar noiva do velho rico, Murilo procura Inês, que fica meio chocada a princípio, mas aceita convencer a filha a faturar muito através desse modo de vida. Com muito tato e domínio maquiavélico, ela, ao longo do tempo, acaba por convencer a filha, e se transforma em sua cafetina, junto de Murilo, que passa a ser seu cafetão. Os dois voltam a namorar, e Murilo agencia Alice para milionários das áreas nobres do Rio, e a relação se transforma em um triângulo amoroso, já que Murilo é amante de Heloísa (Carla Salle), outra prostituta que ele agencia. Sua família sequer imagina qual é a sua profissão, já que ele finge ser produtor de eventos.

Beatriz é filha da socialite Estela Marcondes (Nathalia Timberg), que por ter vindo de uma família rica e tradicional, reprimiu por muitas décadas a sua homossexualidade. Ela é divorciada, e seu ex-marido faleceu a poucos anos. Ela escandalizou a sociedade conservadora da época, há trinta e cinco anos, quando, cansada de esconder sua verdadeira essência, e de viver um casamento infeliz, se divorciou do marido, pai de Beatriz, e assumiu um romance lésbico, tendo ido viver junto com sua amada, Teresa Petrocheli (Fernanda Montenegro), uma das maiores advogadas do Brasil. Beatriz aceita com naturalidade a relação da mãe, embora não se dê bem com Teresa, que sabe realmente o monstro que Beatriz é, pois enxerga facilmente seu modo dissimulado de ser. Teresa é inteligente e dominadora, sempre a frente da época em que vivia, não aceitava as imposições que a mulher era obrigada a aceitar, e começou a trabalhar cedo, e saiu de casa para obter liberdade. Ela optou por não casar e nem ter filhos, e sim estudar. Apesar de ter namorado homens e mulheres, só encontrou o amor de verdade nos braços de Estela. Teresa questiona e muito a aproximação de Inês com Beatriz. Ela é uma mulher íntegra, honesta e fiel aos cumprimentos da lei, e fará o possível para que Estela se livre da influência maligna de Beatriz, que domina a mãe. Estela perdeu sua outra filha no parto, e o genro abandonou seu neto, e então, Estela e Teresa criaram o menino, Rafael (Chay Suede) desde que nasceu. Ele chama as duas de mãe, e juntos delas, são alvo do preconceito social. Outra polêmica colocará ainda mais em evidência de preconceitos a relação das duas, quando decidirem casar-se oficialmente. Por conta da relação homo afetiva que vivem, Rafael é vítima de preconceito, sendo chamado de gay por Murilo e pelo melhor amigo dele, primo de consideração de Rafael, e enteado de Beatriz, o playboy Gustavo (Bruno Gissoni).

Regina, atualmente, é vendedora de coco na praia do Leme, e batalha muito para sustentar a filha. Sua mãe trabalha como garçonete no mesmo clube onde trabalhou no passado, e seu irmão se tornou competidor de natação. Regina continua sendo uma mulher simples e verdadeira, porém mais brigona, que não leva desaforo para casa, e se fechou totalmente para o amor, não querendo mais saber de romances sérios, passando a viver para criar sua filha. Porém, o destino lhe pregará uma peça, ao se apaixonar perdidamente por Vinícius. Ele fica apaixonado também, e passa a persegui-la para, pelo menos, serem amigos, mas Regina é durona, briga com ele, o chama de playboy, e vive fugindo, com medo de uma nova decepção, porém se aproximam mais quando Gustavo, bêbado e dirigindo um barco, atropela Wolnei, vizinho de Regina. Ela faz de tudo para o caso não sair impune, e Beatriz fica furiosa ao ver que o passado está lhe assombrando, já que Regina e filha do motorista que ela assassinou.

Inês tenta comprar Regina, lhe oferecendo dinheiro para inocentar Gustavo, mas Regina lhe dá um tapa e a briga muito com ela, provando ser uma mulher de moral. Inês, então, é humilhada por Beatriz, que fica com raiva, pois para comprar alguém tem que observar se a pessoa é ou não corruptível. Inês, então, tem uma ideia, e compra Wolnei, que muda seu depoimento e diz que Regina lhe deu bebida alcoólica, e por ele ser menor, perderia a licença da barraca de praia. Após muito sofrer para comprovar que é inocente, com ajuda de Vinícius, que de graça, aceita ser seu advogado, Wolnei volta atrás e inocenta Regina. Vinícius fica chocada o saber que seu irmão estava dando dinheiro para Wolnei ficar calado, e os dois brigam, e para não chatear a mãe deles, Vinícius se cala. Regina fica desconfiada de Vinícius ao saber que um dos caras do barco é irmão dele, ela prefere se afastar, mas a cada dias se vê mais apaixonada, e então, decide ser amiga dele, ainda mais aos saber que ele não é arrogante como pensava.

Com muitas artimanhas, Inês compra a delegada, e Gustavo acaba ficando impune. Ele não se dá bem com o pai, pois largou a faculdade, nunca quis trabalhar e só vive bebendo nas baladas e saindo com as prostitutas que Murilo arruma para ele. Beatriz alimenta todas as vontades do enteado, com modo de se vingar das traições do marido.

Regina, após muitos conselhos da mãe, decide se abrir novamente paras o amor, e passa a viver uma relação intensa e apaixonada com Vinícius. Por ele, Regina sente amor de verdade, o que não sentia por Luís Fernando. Apesar de viverem uma relação sincera, carinhosa, verdadeira, o conto de fadas vai por água abaixo, e Regina sofre mais uma decepção: Apesar de ser separado, Vinícius ainda é oficialmente casado com Cristina (Tainá Müller), que volta de viagem e irá infernizar a vida do casal. Regina sofre muito e decide acabar com o romance, se sentindo mais uma vez enganada e usada, querendo entender por que seu carma é atrair homens casados, mesmo que separado dela, Vinícius ainda é casado, e Regina jamais suportaria ser a outra. Vinícius, então, fará de tudo para provar seu amor verdadeiro a Regina, e tentar reconquistá-la, além de conseguir logo seu divórcio.

Aderbal (Marcos Palmeira) é um deputado corrupto, ex-patrão de Vinícius, que administra a fictícia cidade de Jatobá, no interior fluminense, onde Vinícius morava e trabalhava, tendo pedido demissão após descobrir as falcatruas do chefe. Aderbal é articulado, e mesmo sendo um grande ladrão, é admirado pela população – ninguém desconfia que uma empresa fantasma venceu uma licitação para que ele possa desviar verba pública. Aderbal é casado com a sensível pianista Maria José (Laila Garin), que é submissa e sofre com as traições do marido, mas não consegue ter forças para se separar. Ela conta com o apoio da filha, Laís (Luísa Arraes), que não aceita o jeito prepotente e ambicioso do pai, e faz de tudo para a mãe conseguir se libertar e ser feliz. Elas ainda tem que conviver com Consuelo (Arlete Salles), mãe de Aderbal, uma perua de trejeitos engraçados, que é cheia de manias de grandeza, e apoia o filho em tudo, pensando sempre em obter mais dinheiro. Maria José e Laís tem um choque cultural quando Aderbal decide se mudar para o Rio, para obter maior visibilidade política, e as duas sentem dificuldades em viver numa cidade grande, com diversos políticos visitando a casa. Aderbal se envolve com sua empregada, Rosângela, moça do interior que trabalha na casa a alguns anos. Ela acaba engravidando, e ele lhe dá dinheiro para abortar, e, com medo, a jovem aceita, e logo depois é demitida. Como se mostra um homem temente a Deus e tendo eleitorado evangélico, e capaz de tudo pelo poder, ele simplesmente tira do seu caminho o que o incomoda. Laís fica revoltada, por ser amiga da empregada, pois Aderbal e a mãe mentem, e dizem que Rosângela fi embora por que quis.

No Rio, Aderbal encontra sua parceira ideal para golpes: Beatriz. Rapidamente se unem, e se tornam amantes, em busca pelo dinheiro fácil e poder absoluto. Dois grandes psicopatas, capazes de tudo para concretizar seus mais perversos planos. Eles se conhecem pois Laís, sua filha, acaba por se apaixonar por Rafael, sobrinho de Beatriz, mas Aderbal é totalmente contra o romance, já que ele é preconceituoso, e não aceita sua filha namorar um rapaz que é criado pela avó lésbica e pela companheira dela. Ele só visualiza sua campanha política, e é capaz de destruir a felicidade da filha para não perder votos de seu eleitorado conservador. Aderbal o expulsa de casa quando Rafael revela que é ateu. Laís o ama, mas fica confusa, e influenciada pelo pai e pal avó, destrata Rafael, e diz que não aceita que ele seja criado por duas mulheres, e que tem nojo de lésbicas. Isso o deixa muito triste e chocado.

Para se vingar de Beatriz, Inês seduz o marido dela, e leva Evandro para a cama, e depois joga isso na cara de Beatriz. As duas brigam, e Beatriz a humilha, dizendo que o sexo que ele fez com Inês, é o que faz com qualquer garota de programa. Após discutirem e se agredirem, decidem se acalmar e unirem-se novamente, para conseguir com que a Construtora continue dando bastante dinheiro para as duas. Beatriz passa a tentar arrumar um homem rico para Inês, que é uma mulher complexada e frígida, tendo dificuldade de sentir prazer.

Sempre obcecada por sexo, Beatriz não se contenta em ter um marido e um amante só. Ela precisa de mais, e aventuras perigosas a atraem. Ela leva Pedro (André Bankoff), engenheiro bem mais jovem, e amigo de seu marido, para o chuveiro, onde transam. Beatriz não tem limites, e fica excitada com a possibilidade de ser flagrada pelo marido, e se diverte com a situação, que deixa o engenheiro tenso. Sempre sensual, ela se aproxima de Diogo (Thiago Martins), irmão de Regina. Ela o seduz de todas as formas, e, mesmo sendo fiel a sua noiva, Diogo transa com Beatriz na mesa da sala dela, na Construtora Rangel, e fica arrependido por ter traído a noiva, mas mesmo assim os dois passam a ter um caso fixo. Ainda mais vulgar, Beatriz fica muito interessada em um desconhecido ao fazer compras numa loja, e mesmo sem nem saber o nome dele, arrasta-o para o provador de roupas, onde transam.

A vida coloca Regina novamente frente a frente com Beatriz e Inês. Ela não desistiu de colocar Gustavo na cadeia, e nem de achar o assassino do seu pai, e para isso tenta encontrar formas de denunciar Inês, tentando provar que ela comprou até a delegada. Beatriz, sempre hábil, finge-se de amiga de Regina, e tenta ajudá-la a fazer justiça, mas Regina não a acha muito sincera. A partir daí, Beatriz e Inês terão que se unir para que Regina evite descobrir o crime, já que Beatriz e Inês possuem provas de que ambas são bandidas, e se não se unirem, uma conseguirá destruir a outra, e sairão perdendo nesse jogo de poder.

Elenco

Trilha Sonora

Nacional

  1. Pra que chorar 
  2. Amor Marginal 
  3. Sabe Você 
  4. Sonhos 
  5. Tango do Mal 
  6. Deixa Se Envolver 
  7. Amor, meu grande amor 
  8. Te Ensinei Certin 
  9. Esperta 
  10. Eu te desejo amor 
  11. Um Trem Para As Estrelas 
  12. Mania 
  13. Não Diga Não
  14. Convocação
  15. Azul da Cor do Mar

Internacional

  1. I'm Not The Only One 
  2. Ink 
  3. So Not Over You 
  4. Do I Wanna Know? 
  5. Everytime We Say Goodbye 
  6. Don't Wanna Touchdown 
  7. Only U 

Referências

  1. Wikipédia - Babilônia

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória